quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Traições

A questão da traição ou da infidelidade tem-me dado que pensar, por vários motivos, nos últimos tempos. Hoje foi-me sugerido que escrevesse sobre o tema.

Não é fácil. Tenho muitas ideias concebidas, e preconcebidas, sobre o assunto. Mas se me proponho escrever sobre o mesmo, quero fazer uma reflexão um pouco mais cuidada.

Nesse sentido, e porque acho que é sempre um bom ponto de partida para qualquer meditação, decidi ir ver os significados das palavras ao dicionário. Palavra puxa palavra, este foi o resultado obtido:

Do Priberam:

Trair:
do Lat. tradere, entregar
v. tr.,
atraiçoar;
enganar por traição;
falsear;
ser infiel a;
denunciar;
revelar;
não cumprir;
v. refl.,
descobrir involuntariamente o que se pretendia ocultar;
delatar;
comprometer-se.


Traição
do Lat. traditione, entrega
s. f.,
acção ou efeito de trair;
intriga;
deslealdade;
aleivosia;
perfídia;
cilada;
infidelidade.
loc. adv.,
à -: traiçoeiramente;
alta -: atentado contra a segurança do Estado.


Infidelidade:
infidelidade
do Lat. infidelitate
s. f.,
falta de fidelidade;
qualidade de quem é infiel;
traição;
deslealdade;
perfídia.


Adultério:
adultério
do Lat. adulteriu
s. m.,
violação da fé conjugal;
infidelidade conjugal;
falsificação;
adulteração.


Posto isto, continuei com algumas dúvidas. Ainda não me sentia satisfeita. E sempre ouvi a minha avó dizer: «Se não sabes, vai ver na enciclopédia.» Assim fiz. Dadas as maravilhas dos tempos modernos, fui à Wikipédia. Resultados em baixo.

Traição, como uma forma de decepção ou repúdio da prévia suposição, é o rompimento ou violação da presunção do contrato social (verdade ou da confiança) que produz conflitos morais e psicológicos entre os relacionamentos individuais, entre organizações ou entre indivíduos e organizações. Geralmente a traição é o ato de suportar o grupo rival, ou, é uma ruptura completa da decisão anteriormente tomada ou das normas presumidas pelas outros. De acordo com a Psicologia, e segundo a psicoterapeuta Olga Inês Tessari, são vários os fatores que levam à traição: questões culturais, carências, insatisfação em relação a desejos e expectativas com o (a) parceiro (a), vingança, a busca pelo novo, o estímulo provocado pela sensação de perigo, ou mesmo de poder. "A idéia de posse existe em quase todas as relações estáveis e as cobranças de fidelidade são normais e aceitas pela sociedade."

Infidelidade é literalmente uma ruptura da fé e ocorre vários contextos (por exemplo religioso).
Infidelidade é o descumprimento de um compromisso de fidelidade. É uma violação de regras e limites mutuamente acordados em um relacionamento. Em sua acepção mais comum, a fidelidade é manter relações amorosas somente com uma pessoa que é sua parceira ou parceiro. Portanto, a infidelidade é quebrar este pacto tácito de manter relações sexuais com uma pessoa que escolhemos como parceiro ou parceira.
A infidelidade pode significar a ruptura de qualquer compromisso que tenhamos tomado livremente e, que por qualquer circunstância foi quebrado. No entanto, não significa o que mesmo que adultério.
O que constitui um ato de infidelidade varia no meio e dentro culturas, não dependendo da presença do comportamento sexual. Mesmo dentro do relacionamento próximo alguns povos podem ter idéias e percepções muito diferentes da infidelidade.

Adultério é uma palavra que derivou da expressão em latina ad alterum torum que significa literalmente na cama de outro(a) que designava a prática da infidelidade conjugal e com o tempo se estendeu ao sentido de fraudar ou falsificar adjeta ao verbo "adulterar". O adultério, como "ato de se relacionar com terceiro na constância do casamento", é considerado uma grave violação dos deveres conjugais por quase todas as civilizações de quase toda a história, sendo que algumas sociedades puniam gravemente o cônjuge adúltero e/ou a pessoa com quem praticava o ato, sendo ambos passíveis de morte.
Historicamente a prática de adultério era criminalmente mais grave quando praticado pela mulher em relação ao homem. Hoje em dia, embora tal discriminação não exista nas leis dos países ocidentais, ou tenha perdido sua eficácia sociológica, na prática do dia a dia a conduta continua a ser visto de forma diferenciada, dependendo do gênero de quem realiza o adultério.
No
direito medieval, os praxistas formularam gradação segundo a gravidade como as figuras nudus cum nuda im oedem lectum (nu com nua na cama) como modalidade mais grave e o solus cum sola im solitudine (ele só com ela) como modalidade menos grave.
Ao longo da história, o filho havido mediante adultério, tinha uma situação vexatória e certas restrições de direitos, inclusive quanto ao recebimento da herança ou o uso do sobrenome paterno. Entretanto, as legislações e sociedades modernas extirparam de vez tais preconceitos.


Monogamia: A monogamia acontece quando um indivíduo só tem um único parceiro durante um determinado período de tempo. Este termo usa-se também para referir a existência de um único parceiro sexual durante toda a vida de um indivíduo. No mundo animal, este termo é usado para referir a prática de permanência com um parceiro com vista à reprodução sexual e aos cuidados parentais com os recém-nascidos.
Monogamia humana: Mas o que caracteriza a monogamia, é que ela representa uma espécie de contrato social, uma relação de propriedade privada entre os agentes sociais, cada qual sendo proprietário da sexualidade do outro e a outorgação desse contrato é a fidelidade, uma coerção para manutenção do contrato, estado de vigilância, noção de propriedade privada
Segundo Engels a monogamia surgiu quando surgiu a propriedade privada, e o homem subordinou a mulher para gerar uma prole e herdar a propriedade do mesmo.

Meus queridos (e em especial minha querida): demasiada informação. Vou meditar sobre o assunto, ponderar todos os factores, e amanhã escrevo as minhas opiniões sobre a questão.

Vou já sugerindo, para quem tem tempo e uma boa biblioteca em casa, duas obras magistrais sobre o tema: Madame Bovary, de Gustave Flaubert (Editada, pelo menos, pela Europa-América) e Anna Karenina, de Lev Tolstoi (da Relógio D'Água).

Pensem e digam de vossa justiça - o que vos aprouver. Há liberdade de expressão, e todos os pontos de vista são bons - ou pelo menos benvindos.

Acabo com duas citações:

«Quando é que as mulheres começarão a ter a intuição de que acima de todas as infidelidades se acha a da verdade, quer dizer, a fidelidade a si mesmas, e que marido, filhos e países não são nada perante isso?»
Alice James

«As pessoas que só amam uma vez na vida, são realmente pessoas superficiais. Aquilo a que chamam lealdade e fidelidade não passa, para mim, de um hábito de entorpeciemtno ou de falta de imaginação.»
Oscar Wilde

8 comentários:

Anônimo disse...

fico, ansiosamente, a aguardar as opiniões!
E no entretanto deixo uma pergunta: e amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo, achas possível?

Anônimo disse...

E amar mas nao dar...
Querer mas nao poder...
Ter de arriscar mas sem certezas...
Uma amiga para magoar...
Desilusoes para passar...
E no fim sofrer...
Já chega de ilusoes.

ass:
a confusa e indecisa

Anônimo disse...

A solucao esta no vinho branco meninas.

Bjs Bjs

Mary Poppins

R. disse...

Olha anônimo que não te identificas, acho mesmo que não. Pelo menos amar no sentigo conjugal do termo. Já dá demasiado trabalho gostar de uma pessoa. Queres mais?

Mas quem sou eu para opinar?
Solteira e sem prespectivas. LOL.

Anônimo disse...

Pois eu, anónima q n me identifico, sei q é possível amar mais do q uma pessoa ao mesmo tempo! tv qd chegares à minha idade....
Entrewtanto já passou um dia e das suas opiniões.... nada!

Anônimo disse...

Cara anónima,

Como te compreendo, também eu sou anónima e sei o que custa viver com isso.

Amar é como peidar, não dá para dar 2 ao mesmo tempo....

PS- Se eventualmente conseguires dar 2 peidos de uma só vez o meu contacto é o 808200200

The Light disse...

"8.Não fiqueis a dever nada a ninguém, a não ser isto: amar-vos uns aos outros. Pois quem ama o próximo cumpre plenamente a lei.
9.De facto: Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, bem como qualquer outro mandamento, estão resumidos numa só frase: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
10.O amor não faz mal ao próximo. Assim, é no amor que está o pleno cumprimento da lei."

Da Carta de São Paulo aos Romanos, capítulo 13, Bíblia Sagrada;

Rafael Stuart disse...

ora, acho que isto requer uma desconstrução conceptual:

amar
a mar
a m ar
a m a r
traição
t raição
t r aição
t r a ição
t r a i ç ão
t r a i ç ã o

Não chego a nenhuma conclusão....
:p