terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Fique de vez em quando só, senão será submergido. Até o amor excessivo pode submergir uma pessoa.

Clarice Lispector

Não querendo contradizer aquela que é, indubitavelmente, uma das maiores escritoras brasileiras - e Escritora Maior - adoro ser submergida, na verdade. Agora, emergida de novo em Lisboa, sinto-me realmente submergida, por toda a falta que me faz a submerjão.

Submerjamos-nos, pois, e seremos felizes assim submergidos, nessa submerjidice maravilhosa que é o amor.

Atentai, meus caros, para que uma vez bem submergidos, não vos deixeis cair no intento de emergir, pois que não raras vezes essa emerjão é apenas uma aparência ilusória, que no fundo não é mais do que uma subjerjão cada vez maior, nessa coisa horrivel que é a solidão.

Eu, pessoalmente, submirjo-me alegremente a cada dia e assim submergindo vou, num paradoxo confuso, emergindo.

Por isso te digo, a Ti, num imperativo categórico: submerge-me.

Um comentário:

Rafael Stuart disse...

ohh meu deus rita, ate corei! :p