terça-feira, 27 de maio de 2008

O tempo

É estranha a relação que se pode ter com o tempo. Há dias em que amamos cada hora, cada minuto, cada segundo. Queremos que se estendam, que durem até à eternidade. Odiamos o tempo porque passa rápido, porque não se demora. Há outras alturas em que detestamos cada segundo, porque se atrasa, porque se estende, porque não passa. Queremos que os minutos, as horas, os dias, as semanas se ultrapassem e que voem à velocidade da luz. E nunca, mas nunca isso acontece quando o queremos. O tempo arrasta-se, insiste em dizer que está ali, que ninguém o pode apressar, que é seu e só seu. Que é inexorável. Odiamos o tempo nessas alturas também.
O que nos deixa sempre a odiar o tempo, excepto quando não pensamos nele. Aí votamo-lo à indiferença. É chato ser o tempo. Deve ser horrível que ninguém goste de nós. 

Um comentário:

Mary Poppins disse...

Bem agora imagina tu a minha depressão quando tenho que esperar 20 minutos dentro de um carro à espera de uma senhora miss que se atrasa sempre pq está a falar ao telefone com o senhor que dá pelo nome de uma terra. Ora não é justo, é demais pois isto acontece não uma, não duas, o mais provável é de 3 a 5 vezes por semana...
É dura a minha Vida...o que vale é que tenho um carro com 74 brinquedos e agora posso sempre entreter-me! Vou começar a dar o toque antes do jantar.